Rais partam isto

Textos que não interessam a ninguém escritos por um niilista agnóstico(seja lá isso o que for...)


Maria João "on the move" Pires

E aí vai ela.
Brasil é a próxima paragem.
Tudo correu mal em Portugal. Algo que já se sabia, tanto assim é que há pouco mais de um ano a pianista declarava a uma jornalista da revista blue LIVING “Isto mata-me. Eu vou para Espanha porque isto mata-me”, confessou-nos Maria João Pires(…) É uma morte lenta que significa que o que vai realmente morrer é Belgais, tal qual existe agora (…) a falta de reconhecimento e entusiasmo de Portugal acelera o processo que já se iniciou (…) a passagem dos projectos para um novo centro em Salamanca a convite dos espanhóis (…) será para lá que irá a essência do centro, as actividades.
E assim foi.
Ou pelo menos parecia que ia ser.
Foi celebrado um protocolo com uma fundação pertencente à Caja Duero e era suposto que a actividade passasse para Salamanca onde seria criado um "projecto gémeo" de Belgais.
Isto, sem os problemas habituais dos apoios portugueses. Em Espanha tudo seria melhor.
Já em 15 de Julho de 2004, em entrevista ao jornal espanhol "El Mundo", Maria João reespondia à pergunta "se lhe pedissem para trazer a sua escola para Espanha, fazia-o?" com um esclarecedor "Porque não mudar de país se o meu não me apoia?"
Mas então o que se terá passado em Espanha, esse país muito mais avançado e empenhado na divulgação das artes e apoio dos artistas que o nosso? Será que...- não, não acredito - será que... não houve apoios????
Será que a fundação preferiu apoiar algum artista da Operação Triunfo? Será que os espanhóis não aderiram por a Maria João não ser interessante para a imprensa cor de rosa que comanda a vida e os gostos de "nuestros vecinos" (que isto de "hermanos" soa sempre a falso)?
Bem, se Espanha também não dá, talvez o país do mensalão seja a solução (rima e tudo).
Um pais habituado a viver acima das possibilidades; a gastar o que tem e o que não tem... Humm...parece o país ideal!
Venha o Brasil... afinal, a arte e o génio não têm pátria. O que é necessário é que haja condições para que se desenvolvam.
Abandone-se, pois, Belgais.
Abandonem-se os muitos milhões investidos pelo Estado e pela UE na casa da artista (que por acaso também tem umas divisões dedicadas ás artes).
Abandonem-se os muitos trabalhadores do centro, alguns dos quais não recebem desde o início do ano.
Abandone-se a escola da mata, o coro, todos os projectos...
Venha a terra prometida de Vera Cruz. Longe dos problemas... longe de tudo e de todos!
The dream is back!

2 Comentários inteligentes e algumas alarvidades “Maria João "on the move" Pires”

  1. # Blogger Maria

    "Atrai-me a ideia de publicar os meus pensamentos na certeza de que ninguém os lerá." Ups... tem aqui uma rapariga que vai lê-los de "fio a pavio" :) Ao contrário de si o objectivo do meu blog é ser lido, dissecado, examinado. Por isso fiquei muito contente pelo seu comentário. Desejo-lhe boa sorte pois ainda está no começo. Mas algo me diz que o seu blog tem pernas para andar [mais outra expressão que não quer dizer nada mas que acaba por dizer tudo... uh... ok... that was absurd]. Gostei da sua maneira de escrever, é inteligente e divertida. Passe no meu blog sempre que quiser. A Maria fica à sua espera ;)

    Ciao  

  2. # Blogger Hélder

    Certamente que passarei. Estou até a pensar colocar uns links no meu blog só para incluir o seu.
    De qualquer forma já o adicionei aos favoritos e vou ser visita frequente. Silenciosa, mas frequente.  

Enviar um comentário



© 2006 Rais partam isto |