Rais partam isto

Textos que não interessam a ninguém escritos por um niilista agnóstico(seja lá isso o que for...)


Encorrer os espanhóis


Finalmente uma tradição que faz sentido.
Pelo que sei acontece em Valverde, Fundão e Castelo Novo, todas do distrito de Castelo Branco, mas devia estender-se ao resto do país. Melhor, ao resto da península...
Uma forma original de comemorar a restauração da independência.
Bom, bom era se tivessem uns espanhois pendurados a fazer de pinhata...

Rais partam os rafeiros

Tenho azar com eles.
Como não consigo dizer "não" quando sou confrontado com o olhar de um rafeiro, alimento os cães vadios que passam pela minha porta e quando saio de casa já sou acompanhado por 4 caudas bamboleantes que me seguem para onde quer que vá.
Um outro rafeiro - perfumado, este - fez-me o mesmo olhar pedindo - não, suplicando (pode ser assim, xêroso?) - que eu entrasse em mais uma dessas malditas correntes.
Trata-se da resposta a 29 perguntas, uma por cada carraça do rafeiro (ops..)
Então aí vai:
1 - ALTURA:
Tendo em conta que a distância entre o chão e o meu umbigo é de 1,11 m, qualquer pessoa que tenha lido o Código de "Da Vinci" ou conheça o PHI poderá calcular a altura. Citando António Guterres "seis vezes um... ahnnn vezes oito... ahnnnn.... ahnnnn..... é fazer as contas..."
2 - QUE SAPATOS ESTÁS A USAR?
Visto fato durante a semana pelo que o sapato é sempre clássico.
3 - MEDO?
Não tenho. Tenho é receio... Adoro esta frase.
A sério, tenho poucos medos. O maior é o de perder os meus filhos.
4 - OBJECTIVOS A ALCANÇAR:
Chegar ao fim do dia bem disposto e aos 60 com força e dinheiro para passar uns anos a velejar pelo mundo.
5 - FRASE QUE MAIS USAS NO MESSENGER?
I'm offline.
6 - MELHOR PARTE DO CORPO?
Tenho um fígado muito sexy.
7 - PALAVRÕES?
Só quando me queimo.
8 - LADO DA CAMA?
Sou casado... portanto já aprendi a ficar com o lado que sobra.
9 - TOMAS BANHO TODOS OS DIAS?
Não. (posso sempre alegar que sou um consumidor de água racional, preocupado com o meio ambiente...)
10 - GOSTAS DE TOALHAS QUENTES?
São-me perfeitamente indiferentes.
11 - URSINHOS DE PELÚCIA?
Quê??
12 - ACREDITAS EM TI MESMO?
Tenho uma confiança cega e exagerada em mim e nas minhas capacidades. Talvez um dos meus maiores defeitos.
13 - DÁS-TE BEM COM OS TEUS PAIS?
Muito bem, com tendência a melhorar.
14 - GOSTAS DE TEMPESTADES?
Apaixonadamente. Passo horas à janela a ver a trovoada.
15 - DESPORTO?
Estou ansiosamente à espera que chegue à idade de poder jogar golf. Já pratiquei (como amador) futebol, volei e básket. Gosto de praticar tenis, squash. Tenho a ambição de praticar Parapente. Também gosto de sexo, mas não pratico.
16 - PASSATEMPOS E HOBBIES?
Fiz copy paste do questionário do rafeiro e começo a perceber porque é que me dou bem com os cães. Algumas respostas nem me apetece mudar. "Numismática, Fotografia, Viajar e ultimamente a Bloguice" é a resposta do canino, que podia ser minha. Ò Rafeiro, tens umas moeditas pá troca?
17 - FOBIAS E MANIAS?
Fobias propriamente não tenho. Fico incomodado no meio de muita gente, mas não creio que chegue a ser uma fobia. Ás manias já respondi.
18 - QUANTAS VEZES O TEU NOME JÁ APARECEU NOS JORNAIS?
Algumas. Há pouco tempo fui citado na maior parte dos jornais do país a dizer uma brutalidade que eu nunca disse. Quando telefonei ao jornalista da Lusa responsável pelo artigo que foi difundido pelos outros, teve a lata de me dizer que já tinha a informação e faltava-lhe uma fonte. Como tinha o meu nome colocou as palavras na minha boca... O meu ponto alto nos media foi um noticiário da TSF que abriu com umas declarações minhas (desta vez reais).
Pela experiência que tenho, odeio jornalistas e tento não ler jornais.
19 - CICATRIZES NO CORPO?
Uma pequenina num lábio.
20 - DE QUE TE ARREPENDES DE TER FEITO?
Tenho por filosofia que os erros são importantes para aprender e para formar carácter. Assim, tiro sempre algo positivo de todas as experiências e não me arrependo de nada.
21 - COR FAVORITA?
Não tenho.
22 - UM LUGAR ONDE NUNCA ESTIVESTES E GOSTAVAS DE IR?
Polinésia Francesa, Ilha da páscoa, Filipinas, algumas ilhas da Indonésia, Havai, Jamaica, enfim, todos os sítios onde o mar seja azul claro, existam bancos de corais para mergulhar e a natureza seja o mais virgem possível.
23 - MANHÃS OU NOITES?
Noites, definitivamente.
24 - O QUE TENS NOS BOLSOS?
Chaves e carteira
25 - QUE FARIAS SE FOSSES PRIMEIRO-MINISTRO?
Ui... isso merecia um post inteirinho, enorme e maçudo...
A primeira medida seria abolir a democracia, mandar fechar a assembleia da república e passar a tomar decisões com base nos votos expressos pelas pessoas através de chamadas para números de valor acrescentado. Passava a financiar o Estado através dos partidos em vez de ser o contrário como até agora.
A seguir desistia da OTA, do TGV, de pagar as SCUTS e com o dinheiro poupado daria para pagar quase metade do dinheiro que os portugueses devem à banca por créditos à habitação. O dinheiro que cada português poupava na prestação seria obviamente gasto por ele noutras coisas, rendendo maior qualidade de vida para todos e mais IVA, IRS e IRC para os cofres do Estado. Com o tempo, seria um investimento que se pagava a si mesmo...
26 - SE GANHASSES O EUROMILHÕES QUE FARIAS AO DINHEIRO?
Citando alguém muito mais autorizado do que eu "Se me sair o Euromilhões rasgo o c*ralho do boletim..... o dinheiro não é tudo.
...saúdinha...haja saúdinha..."
27 - SE TE CAÍSSE NAS MÃOS A LÂMPADA DE ALADINO O QUE FARIAS? QUE DESEJOS PEDIRIAS?
Esta é muita batida... Podem ser os lugares comuns das entrevistas das misses.
28 - SE O MUNDO ACABASSE HOJE ÀS 23h59m QUE FARIAS ATÉ LÁ?
Tentava arranjar maneira de interpor um recurso com efeitos suspensivos ou qualquer outra manobra dilatória que fizesse com que a decisão sobre o fim do mundo se arrastasse durante uns anos pelos tribunais portugueses. Depois, à primeiro oportunidade, pagava a um daqueles funcionários públicos que são também "empresários em nome individual", para que desaparecesse com o processo para os confins do arquivo. (Que é o que tenho "óvisto" dizer que se faz por aí...)
29 - SE TIVESSES UM FILHO SEM SABER COMO, SEM RAZÃO NENHUMA, QUE FARIAS?
Essa dos filhos sem razão nenhuma é esquisita. Não havendo razão, então não tinha um filho, era doutro... não é??
Deveria agora tramar uma série de gente...
E é o que vou fazer. Apenas a 4 pessoas, para tentar manter alguns amigos...
E as nomeadas são....
nanny - nova na "blogagge", para que se estreie nas correntes;
Ouricita - Para que tenha um pretexto para escrever alguma coisa e não volte a passar um mês sem escrever;
Princesa Maria - Para que se entretenha até Sexta :-) e não vale responder "x" a todas as perguntas!
Uxka - Por me ter ensinado a importância de mudar de roupa interior todos os dias :)

Como a minha mulher não é pacifista, vou começar as entrevistas para a semana

Notícia do Expresso:


"O fim da guerra e de todos os conflitos mundiais pode ser, afinal, mais fácil de alcançar do que se pensa. Falhadas que foram muitas negociações diplomáticas, o caminho para a Paz passa, calcule-se, pelo prazer. E é partindo desta premissa que uma Organização Não Governamental lança ao mundo um desafio que tem tanto de insólito como de nobre: um Orgasmo Global Sincronizado pela Paz.
E dada a dimensão da causa, este orgasmo tem regras e exige (mais do que todos os outros) sintonia e entrega total, não só com o parceiro escolhido mas com o mundo em geral.
O objectivo da Global Orgasm (ver link para a organização no final deste texto) é conseguir que no próximo dia 22 de Dezembro o maior número de pessoas tenha um orgasmo ao mesmo tempo, concentrando (durante e depois) a sua energia para pensamentos positivos a favor da Paz e do fim dos conflitos mundiais.
Na sua declaração de missão, a organização faz saber que “a combinação da alta energia orgasmica, com uma vontade intensa, tem um efeito maior do que a meditação e as orações em massa”. Tudo porque este orgasmo colectivo (se a participação for a que se espera) será capaz de injectar elevadíssimos níveis de energia positiva no campo magnético da terra. O resultado directo: a redução dos níveis violência no mundo.
Data não foi escolhida ao acaso
E para que tudo corra bem, nem a data é escolhida ao acaso. O dia 22 de Dezembro representa o solstício de Inverno, que no calendário Maia significa um «recomeço». A organização explica que esta iniciativa é à escala mundial, mas apela à especial participação dos residentes em países com armas de destruição massiva ou onde se vivam situações de conflito. Mas esclarece que o mundo inteiro é bem vindo a esta causa.
Para facilitar a sincronização deste Orgasmo Global pela Paz, a organização coloca na sua página na Internet um relógio com a contagem decrescente para o grande momento.
Por isso, que quiser contribuir para a paz no mundo pode fazê-lo daqui a 28 dias, 17 horas, 31 minutos (prazo da altura em que foi publicado este texto). Com quem quiser, onde entender, no momento em que estiver sintonizado, mas com toda a energia."

O João

João era servente.
Na adolescência saiu de casa e, apaixonado pelo espírito dos saltimbancos, foi trabalhar para os carros de choque.
Um dia em que, porventura, bebeu demais, acordou e estava sozinho. Os carros de choque e os poucos bens do João tinham desaparecido. Sem nada mais do que a roupa que trazia no corpo viu-se abandonado numa localidade do interior que já viu nascer um presidente.
Por ali ficou, arranjou trabalho, fama de trabalhador e uma namorada com quem casou.
Teve duas filhas. A mulher morreu jovem, quando as miúdas eram bebés.
O João entregou-se à heroína e as filhas foram criadas pela Santa Casa.
Conheci-o quando o prenderam.
O Cristiano pediu para ir à casa de banho do Tribunal e conseguiu fugir num momento de distracção do polícia que o acompanhou.
O João ficou. Foi detido por tráfico e cumpriu dois anos de prisão preventiva.
Acabou absolvido. Na verdade era - e sempre foi - apenas consumidor.
Mas o João roubava. Acompanhava amigos consumidores em assaltos a vivendas.
Em casa guardava o produto dos roubos. A parte que lhe cabia.
Não ficava com o dinheiro ou com as jóias. Guardava serviços de copos, faqueiros, atoalhados, lençóis, serviços de chá… Todos impecavelmente arrumados na casa do João.
Roubava para o enxoval das duas filhas a quem nunca pudera dar nada pelo malfadado vício que o corroía.
Voltei a vê-lo algum tempo depois da libertação. Estava limpo. Trabalhava de Domingo a Domingo para recuperar o tempo perdido. Decidira que aos 40 já era tempo de mudar de vida.
Desenvolvemos uma estranha amizade.
Veio ter comigo porque os cunhados o queriam despejar da casa de família onde ele vivia. Disse-me que não se importava de ser despejado mas pediu-me que tentasse convencê-los a darem a casa ás sobrinhas, as filhas do João. Eles são ricos e não precisam. Só fazem isto para me atingir. Mas a casa é a única coisa de valor que eu posso deixar para as minhas filhas. Comoveu-me e tentei.
Num dia de Setembro de um destes anos atendi o telefone a uma daquelas clientes que sempre desejei não ter. Do outro lado dizia-me: Olhe, aquele seu cliente, o João R. ficou-me aqui a dever umas refeições no restaurante… Encontraram-no ontem morto, como é que eu faço para receber?
Desliguei-lhe o telefone sem responder. Tinha aprendido a respeitar o João.
Foi traído pelo coração, mal tratado durante anos. Encontraram-no em casa, morto há já vários dias.
Lembro-me dele com frequência. Um estranho criminoso de quem era difícil não gostar…
Após a morte os cunhados desistiram da acção e comprometeram-se a dar a casa ás filhas do João.

Mamonas



Não posso dizer que seja um fã incondicional de mamonas. Na verdade gosto de mamas de todos os tamanhos, mas não são a parte da anatomia feminina que mais aprecio... Quanto à banda, sempre gostei!
No ano em que se cumprem 10 desde o acidente de avião que vitimou os Mamonas Assassinas, decidi que o primeiro vídeo do meu blog fosse deles.

Por ser de um requinte poético exacerbado, aqui deixo também a letra da música "Uma Arlinda Mulher"

Te encontrei
Toda remelenta e estronchada num bar, entregue às bebida
Te cortei os cabelos do sovaco e as unhas do pé
Te chamei de querida
Te ensinei
Todos os auto-reverse da vida
E o movimento de translação que faz a Terra girar
Te falei
Que o importante é competir
Mas te mato de pancada se você não ganhar!

Você foi
Agora a coisa mais importante que já me aconteceu neste momento
Em toda a minha vida
Um paradoxo do pretérito imperfeito
Complexo com a Teoria da Relatividade
Num momento crucial
Um sábio soube saber que o sabiá sabia assobiar
E quem amafagafar os mafagafinhos
Bom amafagafinhador será

Te falei
Que o pediatra é o doutor responsável pela saúde dos pé
O "zoísta" cuida dos zóios e o oculista
Deus me livre, nunca vão mexer no meu!
Pois pra mim
Você é uma besta mitológica com cabelo pixaim parecida com a Medusa
Eu disse isso
Pra rimar com a soma dos quadrados dos catetos
Que é igual à porra da hipotenusa

Você foi
Agora a coisa mais importante que já me aconteceu neste momento
Até hoje em toda a minha vida
Um paradoxo do pretérito imperfeito
Complexo com a Teoria da Relatividade
Num momento crucial
Um sábio soube saber que o sabiá sabia assobiar
E quem amafagafar os mafagafinhos, bom amafagafinhador será

Eu fundei
A Associação Internacional de Proteção às Borboletas do Afeganistão
(e daí?)
Te provei por B mais C
Que a menina dos teus zóio não tem menstruação (e daí)
Dar um prato de trigo pra dois tigres
E ver os bichos brigando é legal que só (miauuu...)
Pois nos "tira e põe, deixa ficar" da vida
Serei sempre seu escravo-de-Jó

Logo agora que você estava quase entendendo o que eu estou falando (falando)
A canção está acabando e o Creuzebeck está baixando ali o volume(volume)
E você não entende nada mesmo porque quando você estiver em sua casa nesse momento a música vai tá baixinha (baixinha)
E você não vai entender nada mesmo porque não sei por que eu tô falando esse monte de besteira que já...
Porra! Vamo parar com esse papo chato, rapaz! (vamo lá)
Eu já não estou agüentando mais, está doendo minha garganta
Eu tenho que fazer ali um gargarejo com vinagre, soltei um peido aqui dentro (caralho!)
Está fedido o ambiente, meus dedos estão dormentes
Pelo amor de Deus, parem com esta porra!

As malditas manias

A convite daMaria e daMula (que trocadilho tão giro), que - num momento de descontrole emocional - tive a infeliz ideia de aceitar, vou revelar 5 das minhas muitas manias.
Na verdade a minha maior mania será, certamente, a de pensar que sou um tipo comum sem manias, o que torna o desafio ainda mais complicado.
As regras são as seguintes:
"Cada bloguista participante tem de enunciar cinco manias suas, hábitos muito pessoais que os diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher cinco outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do "recrutamento". Ademais, cada participante deve reproduzir este "regulamento" no seu blogue.
Vamos a elas: (ás manias, claro!)
1.ª mania:
Cozinho quase todos os dias. Isso não é mania, eu sei, mas não consigo cozinhar sem estar acompanhado de uma cerveja (ultimamente bohemia), que bebo pelo gargal enquanto cozinho. Trata-se, provavelmente, de alguma manobra do meu subconsciente para me distanciar da imagem do Goucha.
2.ª mania:
Quando recebo telefonemas de alguns clientes mais chatos pouso o telefone na mesa e só lhe pego de tempos a tempos para dizer "sim" ou "ahan". Agora ando a treinar uma das funcionárias para ser ela a fazê-lo por mim. Se o cliente fizer uma pergunta que requeria uma resposta mais pessoal, a chamada "cai" misteriosamente... Manda a decência que esclareça que só o costumo fazer com 2 ou 3 que são dados a monólogos de meia hora, completamente inúteis.
3.ª mania:
Penso que, se tentar, consigo fazer tudo. Já inutilizei vários electrodomésticos e algum material de informática em tentativas frustradas de reparação. Infelizmente ás vezes consigo resolver o problema, o que me dá alento para continuar a fazê-lo e a estragar 2 em cada 3 aparelhos em que meto as mãos.
4.ª mania:
A minha mente raramente acompanha o corpo. Graças a isso deixo com frequência as chaves dentro de casa, perco telemóveis, dinheiro, guarda-chuvas, casacos, etc. Uma vez deixei o carro destravado e só mais tarde o vi encostado a um contentor no fundo da rua. Outra vez, no Bairro Alto, esqueci-me de onde o tinha estacionado e tive de voltar para casa de táxi (esta se calhar não conta por causa do álcool). O lado bom - sim que tudo tem um lado bom - é que já aprendi a abrir portas com cartões, já aprendi a melhor forma de partir vidros para abrir janelas e já perdi por completo o medo das alturas graças aos saltos que durante anos tive de dar de um escadote baixo para agarrar as grades da varanda e subir a peso lá para dentro.
5.ª mania:
Não posso ver um quadro torto. Não tenho qualquer problema com outros objectos pendurados, mas quadros... Mesmo em casa de estranhos tenho sempre de arranjar forma de poder ir endireitar o quadro.
Lanço o desfio aos seguintes bloguistas:
4) Burro ;

Rotundas da razão


Durante anos vivi intrigado com a proliferação de rotundas em Portugal.
Aparecem onde e quando menos se espera e na maior parte das vezes sem que, aparentemente, nada o justifique.
Parece um disparate… Mas não, não é assim!
Através de fontes privilegiadas descobri o verdadeiro motivo por detrás desta corrida ás rotundas e agora tudo compreendo e aceito.
A explicação é muito simples e perfeitamente lógica:
Existe um clube secreto chamado “circulo de eleitores” do qual só podem ser sócios autarcas portugueses.
Qualquer autarca que o deseje poderá inscrever-se. A subscrição é gratuita sendo os custos do clube suportados de forma benemérita e completamente desinteressada por diversas empresas de construção.
São vários os concursos organizados pelo clube, como o do maior número de obras atribuídas sem concurso público, o da maior derrapagem numa obra pública, o da maior utilização de meios da autarquia em proveito pessoal – com prémio carreira atribuído a Ferreira Torres – a fraude do ano – ganho consecutivamente pela Fátima – e, lá está, o do maior número de rotundas.
Trata-se de uma prova por objectivos: À 5.ª rotunda o autarca ganha uma varinha mágica, ao fim de 10 uma torradeira, ao atingir a 15ª um aspirador e aqueles que conseguem chegar ás 25 ganham um magnífico conjunto de malas de viagem, 100 % poliéster.
Cada rotunda atribui ainda 5 cupões para o sorteio final de uma fantástica viagem em Auto-Pluma ás caves do vinho do Porto.
Na categoria “desperdício de dinheiros públicos” o autarca que tiver ordenado a construção da rotunda mais hilariante ganha ainda um fantástico galheteiro cromado.
Este ano o prémio foi atribuído por unanimidade ao Presidente da Câmara Municipal da Mealhada pela fantástica “rotunda do leitão” que consta da foto.
Está tudo explicado e justificado.

Tempos Modernos (um documento histórico de cariz intervencionista)

Thomas Malthus, maníaco inglês que vivia obcecado pelo crescimento da população, abateu a cegonha à pedrada em 23 de Dezembro de 1834.
A sua alegria por pensar que tinha conseguido resolver o problema do excesso de crescimento populacional foi tal que invadiu a faixa de rodagem vindo a ser atropelado por um cabriolé conduzido por Louis Braille, no preciso momento em que este ensaiava o seu sistema de leitura para cegos.
Auguste Comte, pai da sociologia, que vinha no lugar do morto, terá proferido então a sua célebre expressão: "Fosgasss".
De tal acidente viria a resultar a morte de Malthus que foi sepultado no mesmo dia da cegonha, numa campa de casal comprada na Companhia dos Caixões, o franshising de maior sucesso desde a Peste Negra.
Louis Braille escreveu uma notícia em Braille sobre o assunto, que ninguém percebeu.
Desde então que os bebés deixaram de vir de Paris, com consequências nefastas para a indústria daquela cidade e para os transportes Cegonha & Benjamim, L.da que viriam a abrir falência por dívidas ao fisco e à Segurança Social associadas a um escândalo envolvendo abonos de família...
Para evitar a extinção da raça humana, homens e mulheres uniram-se - literalmente - para se reproduzirem pelos seus próprios meios.
O sexo, até aí ignorado e apenas praticado em hospícios e na Boavista, passou a ser um mal necessário com inevitáveis consequências a nível de higiene e saúde pública.
Com sucessivos upgrades, novas versões e posições, com os anos, de mal passou a obsessão. (Não é o meu caso, que eu até nem ligo a isso...)
É dele que vêm quase todos os problemas da sociedade e não, não falo só de doenças venéreas!
A falta de sexo é potencialmente causadora de depressões, inchamentos, linchamentos, agressividade, má disposição, calosidades várias... enfim, coisas do piorzinho que há!
Tem consequências económicas importantíssimas como a diminuição de produtividade e fuga de capitais para o estrangeiro, nomeadamente para o Brasil.
O seu excesso causa exactamente o mesmo problema.
Há pois que encontrar um ponto de equilíbrio.
Assim:
Exige-se que o Governo intervenha regulando esta matéria, nomeadamente, estabelecendo limites mínimos e máximos de práticas mensais e penalizando aqueles que não os cumprem!
Só assim se poderá racionalizar e/ou racionar a prática, numa política tendente ao equilíbrio e à distribuição de "riquezas".
Exige-se, além do mais, que sejam instituídas acções de formação subsidiadas que aprofundem o tema, fomentando as práticas interpessoais de qualidade.
Poderão, até, ser criados locais apropriados para o efeito em que a prática seja assistida por enfermeiras dentro da linha do que se pretende fazer com as salas de chuto.
Tudo a bem da Nação!




© 2006 Rais partam isto |